dl_internet_limitada

Internet limitada?

Sim, internet limitada! Você não leu errado…

Apesar de parecer piada, pegadinha do malandro ou 1º de Abril, infelizmente essa notícia é verdadeira! Deixe-me explicar a vocês o que está acontecendo no Brasil, à parte da política.

Ano 2016, novidades surgindo todo mês, tecnologia evoluindo constantemente, era conhecida pela revolução digital. A internet nos tornou refém e eu digo amém. Graças à internet foi possível democratizar a educação, milhares de alunos que não tinham acesso à sala de aula hoje conseguem concluir uma faculdade à distância. A internet aproximou famílias e conhecidos que não se viam há anos ou mesmo nem se conheciam, encurtou quilômetros de distância entre pessoas que eram obrigadas a viver distantes uma das outras. Através da imersão digital a internet possibilitou o acesso a cultura e a informação àqueles que nunca teriam essa oportunidade, inserindo grande parte da população na sociedade da comunicação, e por fim, a internet trouxe entretenimento à milhões de pessoas diariamente.

Esses são exemplos reais do que acontece atualmente com a internet no Brasil, no entanto, ela vem sendo requisitada cada dia mais e inserida nos detalhes de nosso dia a dia, facilitando e modernizando o país. Um exemplo? A internet das coisas. Já ouviu falar?

A internet das coisas é basicamente a inserção da internet em objetos e ações rotineiras, como por exemplo, ligar o fogão, acender a luz, abrir uma porta, fechar as janelas, etc. Todas essas pequenas ações que exercemos, sem nem perceber, no dia a dia, estão sendo modernizadas e conectadas através da internet, para, em um futuro próximo ser possível através da fala ou do toque realizar diversas ações de uma só vez.

Vou citar aqui um exemplo que ouvi em uma palestra, há um ano atrás, e me chamou muita atenção!

O tema da palestra era referente a tecnologia no Brasil, e o palestrante, contava porque havia programado seu GPS junto à seu celular e sua geladeira. Segundo ele, a partir do momento em que saia do trabalho para retornar a sua casa, pegava o celular que estava com o GPS ligado, o GPS ao notar movimentação acionava a geladeira da casa dele que programava para gelar a cerveja que já estava no congelador, assim, no momento em que ele chegasse em sua casa, sua cerveja já estaria gelada. E mais, se ele sentasse no carro e estivesse faltando algo da sua lista de compras, inserida em sua geladeira, a mesma identificava, alertava o GPS que o informava qual o supermercado mais próximo para comprar os itens que a geladeira havia “pedido”.

Parece loucura e surreal, ou mesmo que estamos em um episódio dos Jetsons, não é mesmo? Mas felizmente tudo isso é verdade e possível de acontecer, inclusive, já acontece em alguns países e recentemente estaria chegando ao Brasil.

Estaria. No futuro do pretérito mesmo. Estaria chegando ao Brasil se não fosse por esse absurdo que as empresas estão impondo aos seus clientes. No momento, para aqueles que não sabem, as empresas que oferecem internet no Brasil estão reformulando a maneira de vender internet, substituindo o modelo de franquia ilimitado por internet limitada.

Limitar a internet é retrocesso, é voltar ao tempo, é destruir todas as conquistas realizadas até então, é dizer não ao futuro! A limitação da internet vai atingir primeiramente e diretamente a população de baixa renda, que não terá mais capacidade de arcar com o acesso à cultura, informação e educação. Limitar a internet é apoiar a pirataria, que irá voltar com tudo quando o acesso a cultura e entretenimento for negado pelas plataformas de streaming. Limitar a internet causará um retrocesso gigantesco na economia, visto que a maioria das empresas brasileiras hoje em dia dependem da internet para funcionar. (Inclusive a Digital Labs que nada mais é que um estúdio de startups digital).

Sabe quem sai ganhando com tudo isso? Apenas as empresas fornecedoras de internet.

Essas empresas notaram que o brasileiro está deixando de assistir televisão e utilizando, na maior parte do tempo, a internet. Essa escolha acarreta no bolso dessas empresas, que deixam de vender os planos combos, e consequentemente, deixam de ganhar no fim do mês.

Trago agora uma reflexão a vocês: Sempre dizemos que o mundo precisa mudar, que precisamos evoluir e pensar a frente. Prezamos pelo futuro do nosso país e pela nação em que nossos filhos irão viver, certo? Então porque é que toda vez que a tecnologia traz algo novo e diferente temos tanta dificuldade em acolher? Temos dificuldade em encarar o novo, em mudar, em entender que o diferente muitas vezes pode ser melhor. Precisamos abrir a cabeça, precisamos pensar grande! As empresas fornecedoras de internet, ao invés de retroceder, devem andar para frente, ao invés de limitar a internet deveriam criar novos planos que agradem a população e o bolso delas.

A desculpa utilizada? Segundo João Rezende, presidente da Anatel, a infraestrutura de rede não é mais capaz de lidar com a realidade do mercado nacional.

Então é hora de pensar em uma solução para a infraestrutura da rede. Se diversos outros países já utilizam internet em alta velocidade e em maior quantidade, por que o Brasil não consegue?

Pois consegue sim! A responsabilidade agora está sob os brasileiros, não podemos deixar o país retrogredir dessa maneira.

A Anatel divulgou uma nota que concede 90 dias às empresas para que elas estruturem uma ferramenta que possa avisar o consumidor sobre os dados da internet, no entanto, não questionou a decisão de redução ou corte da mesma. Os brasileiros unidos não desistiram e recolheram, em 6 dias, 20 mil assinaturas que foram levadas ao Senado e encaminhada a Comissão dos Diretos Humanos e Legislação Participativa. Vamos acompanhar esse processo de perto, esse é um assunto muito delicado que não pode passar despercebido.

Se você, brasileiro, preza pela sua internet e pela evolução do nosso país, junte-se a causa!

Aconselho também a seguirem a página do Facebook: Movimento Internet Sem Limites (https://www.facebook.com/mislbr). A página atualmente conta com mais de 450.000 seguidores e nos atualiza sempre que sai alguma novidade sobre a causa. A situação política e econômica do país está delicada e é por isso mesmo que não podemos deixar o Brasil voltar no tempo.

 

A Digital Labs apoia a causa Internet Sem Limites, e você? Está nessa conosco?

 

Ruana Godoy

About Ruana Godoy

Bacharel em Relações Públicas pela Unesp, possui excelente experiência em comunicação digital, produção de eventos e empreendedorismo. Aquariana com ascendente em aquário, é apaixonada por liberdade, viagens e gastronomia.